“Um Lugar Para os Apaixonados por Séries”

Seja bem vindo! | Versão: 2.o

8 de Abril de 2018 Animes Review
Review | Kujira no Kora e a busca pela vida


Review | Kujira no Kora e a busca pela vida (Reprodução) Kujira no Kora

Kujira no Kora é um anime lançado na temporada de Outono de 2017 no Japão e, recentemente, disponibilizado pela Netflix no seu serviço de streaming. O anime foi produzido pelos estúdios J.C.Staff (o mesmo responsável por Bakuman., Toradora! e One-Punch Man) em parceria com a nossa querida Netflix. É baseado no mangá Kujira no Kora wa Sajou ni Utau escrito por Abi Uemada que ainda se encontra em lançamento no Japão.

» Siga o SOS no Facebook , Instagram e no Twitter e receba todas novidades das séries! «

O anime conta a história de uma sociedade que vive em cima de um navio-ilha denominado Baleia de Lama que navega num mar sem fim de areia. Daí vem o nome ocidental do anime: Children of the Whale, ou Filhos da Baleia. Nesta ilha existem, aproximadamente, 500 pessoas e, entre elas, nosso protagonista, Chakuro. O garoto trabalha como escrivão, ou seja, sua função é registrar todos os acontecimentos da Baleia de Lama para repassar a história para as próximas gerações.

Dentro dessa sociedade, as pessoas são classificadas em dois tipos: os marcados e os não marcados. Os marcados são pessoas com habilidades especiais, semelhantes a poderes, mas, por conta disso, sua expectativa de vida é reduzida, vivendo no máximo 30 anos. Esses poderes, dentro da Baleia de Lama, só podem ser usados para fins não agressivos: nunca para lutas. As pessoas que desobedecem a essas regras ficam presas nas masmorras (e existem algumas pessoas lá a tanto tempo que são conhecidas como Toupeiras). Já os não marcados são pessoas que não possuem essa . Por conta disso, os não marcados são toda a elite política e hierárquica da Baleia de Lama, sendo responsáveis pelas decisões cabíveis e pela liderança dos marcados.

Toda a população da Baleia de Lama cresceu aprendendo com seus líderes que o mundo foi consumido pela areia e que restam apenas eles em todo o mundo. Porém, esse conhecimento é questionado quando, em uma das explorações a uma das ilhas fixas (que acontecem esporadicamente) para buscar suprimentos, Chakuro encontra uma garota marcada. Essa garota é Lykos e, a despeito das ordens dadas pelos líderes, a garota é levada para a Baleia de Lama.

A curiosidade pela vida exterior, outras civilizações e sociedades começa a passar então pela cabeça dos marcados da Baleia de Lama, porém são logo interrompidos pelos seus líderes, que proíbem toda e qualquer exploração àquela ilha. Ao mesmo tempo, essa descoberta não traz à tona apenas a curiosidade dos habitantes, mas também ameaças começam a assombrar a embarcação e os moradores se encontram num dilema: devem descumprir as regras dos líderes e explorar esse novo mundo exterior ou permanecer na Baleia de Lama e agir como se nada disso tivesse acontecido? O modo como isso é abordado em Kujira no Kora é, simplesmente, maravilhoso.


A animação é um dos pontos altos de Kujira no Kora. Não necessariamente pela sua qualidade, mas pelas cores e detalhes de cada cena. Na maioria das cenas, é como se tudo fosse desenhado com aquarela em tons pastel bem claros, todos baseados no amarelo, passando essa sensação do mundo coberto por areia. Algumas cenas que ocorrem em subterrâneos ou cavernas já possuem tons mais escuros, a fim de passar a sensação de melancolia.

A abertura e o encerramento do anime possuem traços mais clássicos, que combinam perfeitamente com a proposta de Kujira no Kora. Destes, vale a pena ressaltar o encerramento, chamado “Hashitairo” e cantado pela artista oriental rionos, que te passa a sensação de estar viajando pelas ondas de areia do universo do anime. A abertura já tem uma pegada mais dramática e animada e também é muito boa. Chama-se “Sono Saki e” e é performando por RIRIKO.

O anime já possui uma temporada completa em 12 episódios. Ainda não foi confirmada uma segunda temporada, porém, levanto em consideração o último episódio, o anime criou todo um ambiente propício para uma suposta continuação. Outra evidência é que o mangá ainda se encontra em lançamento no Japão, e a história do anime até agora não contemplou todos os acontecimentos do mangá. Porém, o estúdio já anunciou dois OVAs de Kujira no Kora, mas sem maiores informações a respeito.

Kujira no Kora segue um enredo com começo e fim muito rápidos e dinâmicos, porém o meio dá uma desacelerada, o que não torna ruim o anime. O final do anime, como já dito, foi um final bem aberto, que prepara o caminho para uma continuação. E não se deixe enganar pelos traços fofos do anime: ele se mostra ser bem sanguinário, cheio de mortes. Inclusive, posso afirmar que uma das personagens que eu mais gostava já morreu nos primeiros episódios de forma trágica.

Outro ponto interessante é que Chakuro não sofre do “mal do protagonista”. Ele não é aquele zé ninguém que descobre ser o escolhido para ter uma supercapacidade, para realizar uma missão, enfim, para ser o personagem mais badass da história. Todos os personagens tem seus respectivos valores e o anime soube trabalhar muito bem com isso.

Com certeza, Kujira no Kora foi um dos animes mais desvalorizados de 2017, mas que não deveria ser perdido nesse mar de areia.

Confira também nossa resenha de Violet Evergarden aqui.

Comentários
Queremos saber o que você pensa! Este espaço é especialmente para você deixar seus comentários. Deixe sua opinião e nos ajude a construir um Sons of Series cada vez melhor e mais completo. Debates são super bem vindos, desde que as opiniões sejam respeitadas e expressas de maneira educada e sem ofensas gratuitas. Caso observe qualquer tipo de conteúdo preconceituoso ou ofensivo, por favor, não exitem em nos contactar!