“Um Lugar Para os Apaixonados por Séries”

Seja bem vindo! | Versão: 2.o

24 de dezembro de 2017 Destaques Listas Séries
RETROSPECTIVA: As 15 melhores estreias de 2017


RETROSPECTIVA: As 15 melhores estreias de 2017 (Reprodução) melhores estreias de 2017

Ah, 2017! O ano que nos trouxe muitas desgraças, também nos trouxe muitas alegrias e entre elas séries que nos deixaram maratonando loucamente, lamentando a demora que uma nova temporada leva para chegar, comentando com os amigos e traindo os namorados/as que demoram muito tempo para colocar as séries em dia. Mas quais foram as melhores estreias de 2017?

» Siga o SOS no Facebook , Instagram e no Twitter e receba todas novidades das séries! «

A pergunta é bem difícil, visto que no ano tivemos muito mais que 100 estreias, seja na mid season, na summer season ou na mais recente fall season. Porém, todavia, entretanto… Resolvemos passar uma peneira sinistra nessas séries para selecionar as 15 melhores do ano para vocês. Será que vocês assistiram a todas elas?

Para evitar tretas, a ordem dos produtos não afeta a sua qualidade.

Dark

A primeira série alemã original da Netflix chegou de fininho e acabou fazendo mais barulho do que todo mundo esperava. Com um clima bem mais sombrio do que já esperamos pelo título, Dark traz uma história lenta porém envolvente que viaja – literalmente – no tempo e consegue ao mesmo tempo confundir e fascinar a mente de quem a assiste. Com um elenco interessante e uma trama bem desenvolvida, a série com certeza ficou entre as melhores estreias de 2017!

The Sinner

Uma das maiores – se não a maior – surpresa desse ano foi com certeza The Sinner. A série que trouxe a sumida Jessica Biel de volta a ativa, conseguiu prender o telespectador com sua história bizarra e sombria até o último episódio e rapidamente conseguiu um lugar no catálogo da Netflix do Brasil, deixando-a bem mais acessível. Com uma história redonda, com começo, meio e fim, essa não poderia ficar de fora da nossa lista!

Liar

A mais desconhecida da lista para o público é a nova série australiana Liar. Apesar de ter um elenco já conhecido ao público, não teve muita divulgação do projeto e com isso foram poucas pessoas a acompanhar a trama. Apesar de pouco popular, a série se mostrou excelente em retratar a cultura do estupro e como pode ser doentia a forma que um estuprador vê o “jogo” que tem com a vítima. Uma série necessária para os tempos em que vivemos.

Young Sheldon

Quem também não fica de fora, é claro, é a versão miniatura de Sheldon Cooper. Talvez uma das mais aguardadas do ano, Young Sheldon não decepcionou os fãs e se tornou rapidamente uma das maiores audiência de sua emissora, provando ser um sucesso imediato. Números a parte, a série também é bem fofinha e mostra além do lado cômico surpreendendo com o peso dramático que cercava a família Cooper.

The Good Doctor

Para quem acha que em terra de Grey’s Anatomy não existe espaço para outras séries médicas, The Good Doctor chegou para provar o contrário. A nova série de nosso eterno Norman Bates, Freddie Highmore, mostra uma visão completamente diferente da medicina: por um autista. O drama é bem interessante e ter um protagonista com uma mente diferente só torna tudo mais único e agradável.

Mindhunter

Apesar de não agradar a todo mundo, Mindhunter provou ser mais agradável ao público do que o contrário. Mesmo com um ritmo lento, a série conseguiu agarrar a atenção do público por tratar de um assunto que apavora alguns e interessa demais outros: serial killers. Com atuações impressionantes e uma história diferente do que estamos acostumados a ver, a série com certeza ficou entre as favoritas do ano.

O Justiceiro

A mais recente trama da Marvel chegou nos últimos meses do ano e nos deixou dar uma espiada mais detalhada na vida de Frank Castle, mais conhecido como O Justiceiro. A série tem uma pegada bem diferente de suas companheiras da Netflix/Marvel, mas provou ser um sucesso ao apresentar um novo cenário com novos episódios, e é claro trazer personagens já conhecidos – e queridos – de volta as telas.

The Marvelous Mrs. Maisel

Ah, séries de época! Precisávamos de uma para representar os anos anteriores aqui e The Marvelous Mrs. Maisel cumpriu esse papel com muito sucesso. A série mostra a vida de uma mulher nos anos 50, com tudo o que qualquer uma poderia desejar, mas com uma vontade incessável de seguir o seu talento no mundo do stand-up. Pouco comum na época e interpretado erroneamente por vários, é uma jornada maravilhosa de se acompanhar!

Ozark

Mais uma original Netflix na lista – nenhuma surpresa aqui – Ozark trouxe o mundo do tráfico, das máfias, dos perigos de volta as telas com muito estilo. Com a lavagem de dinheiro como centro, a série trouxe uma trama intensa e extremamente agoniante quando mergulhamos na vida de uma família completamente deslocada após péssimas escolhas.

Mr. Mercedes

Adaptações de Stephen King quando bem feitas conquistam qualquer um, e esse é o caso de Mr. Mercedes. Com a história baseada em um livro de King, a série trouxe uma visão diferenciada sobre um serial killer, com personagens principais completamente diferentes e excêntricos, é possível mergulhar de cabeça na trama e só sair após o último suspiro do episódio final.

Os Defensores

Mais uma da Marvel que chegou para levar a galera a loucura. O tão aguardado encontro de Jessica Jones, Matt Murdock, Luck Cage e Danny Rand finalmente aconteceu e foi um estouro, com um jogo visual bem interessante entre seus protagonistas e uma grande mistura de receitas bem sucedidas anteriores, Os Defensores abriu as portas para crossovers e mais do universo da Marvel na Netflix.

One Day at a Time

A série latina mais deliciosa de 2017 tem nome e é One Day at a Time. Sem muita divulgação e com uma chegada discreta, a série conquistou imediatamente todo o público que parou para ver a história da família latina que protagoniza a série. Com debates sobre homossexualidade, racismo, xenofobia e até mesmo estresse pós-traumático, a série mostrou como balancear um humor delicioso com assuntos sérios de uma forma genial.

Big Little Lies

Um elenco do cinema em uma minissérie… Não tinha como Big Little Lies não dar certo. A série que trouxe Reese Witherspoon, Nicole Kidman e Shailene Woodley como foco de uma trama na televisão foi um estouro e entregou um roteiro fantástico, com atuações monstruosas e uma mensagem importante para o público. Além de premiada, foi enaltecida pelo público de todo o mundo.

FEUD: Bette and Joan

Mais uma que trouxe um elenco de peso junto. Jessica Lange e Susan Sarandon foram as responsáveis pelo sucesso e a qualidade impecável de FEUD. Contando a história de uma das rixas – se não a maior – mais comentadas e conhecidas de Hollywood, essa série mostrou o poder de uma mulher ameaçada por outra e a batalha constante que é levantada na indústria do cinema para conseguir um destaque.

The Handmaid’s Tale

Uma utopia não tão distante de nossa realidade, infelizmente. The Handmaid’s Tale é um tapa na cara de todo mundo que se recusa a ver os problemas da nossa sociedade – principalmente com as mulheres. É um show de atuações magníficas, com um roteiro afiado e uma mensagem poderosa que faz qualquer um refletir profundamente sobre a situação atual e para onde estamos caminhando. O poder da palavra no audiovisual nunca foi tão real como nessa série.

Confira também nossa lista com 10 filmes para esse Natal aqui.

Comentários
Queremos saber o que você pensa! Este espaço é especialmente para você deixar seus comentários. Deixe sua opinião e nos ajude a construir um Sons of Series cada vez melhor e mais completo. Debates são super bem vindos, desde que as opiniões sejam respeitadas e expressas de maneira educada e sem ofensas gratuitas. Caso observe qualquer tipo de conteúdo preconceituoso ou ofensivo, por favor, não exitem em nos contactar!